Como equalizar

 

DAN (Divers Alert Network)

 

Suas orelhas médias são espaços aéreos mortos, ligados ao mundo exterior apenas pelas trompas de Eustáquio correndo para o fundo da garganta.

 

Se você não conseguir aumentar a pressão nos ouvidos médios para coincidir com a pressão nos ouvidos externo e interno, o resultado é doloroso barotrauma da orelha média, a lesão do ouvido relacionada com pressão mais comum.

 

A chave para a equaização segura está em abrir as trompas de Eustáquio normalmente fechadas. Cada um tem um tipo de uma válvula na sua extremidade inferior chamado "colchão de Eustáquio", que impede contaminantes em seu nariz de migrar até as orelhas médias. Abrindo os tubos, para permitir que o ar de alta pressão da sua garganta entre nas orelhas médias, que normalmente requer um ato consciente. Engolindo, geralmente conseguimos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Você equaliza seus ouvidos muitas vezes ao dia, sem perceber, por engolir. O oxigênio é constantemente absorvido pelos tecidos do ouvido médio, diminuindo a pressão do ar nesses espaços. Quando você engole, seus músculos do palato mole puxa suas trompas de Eustáquio abrindo as mesmas, permitindo que o ar passe de sua garganta para os ouvidos médio e equalize a pressão. Esse é o "pop" ou "clique" que você ouve.

 

O Mergulho, no entanto, sujeita este sistema de equalização em mudanças muito maiores e mais rápidas de pressão do que é projetado para manipular. Você precisa dar-lhe ajuda.

 

Todos os métodos para equalizar seus ouvidos são simplesmente maneiras de abrir as extremidades inferiores das suas trompas de Eustáquio, para que o ar possa entrar.

 

Métodos utilizados:

 

Passivo

Não requer nenhum esforço

Normalmente ocorre durante a subida.

 

Abertura Tubal -Voluntária

Contraia sua garganta e empurre sua mandíbula para frente

Contraia os músculos do palato mole e da garganta enquanto empurra a mandíbula para frente e para baixo como se estivesse começando a bocejar. Estes músculos puxam as trompas de Eustáquio que se abrem. Isso requer muita prática, mas alguns mergulhadores podem aprender a controlar os músculos e manter seus tubos abertos para equalização contínua.

 

Manobra -Toynbee

Apertar o nariz e engolir

Pinçar suas narinas através da máscara e em seguida engolir. Engolir abre suas trompas de Eustáquio, enquanto o movimento de sua língua, com seu nariz fechado, comprime o ar contra eles.

 

Manobra -Frenzel

Apertar o nariz e fazer o som da letra "K"

Feche suas narinas, e fechar a parte de trás de sua garganta como se esforçando para levantar um peso. Em seguida, fazer o som da letra "K." Isso força a parte de trás de sua língua para cima, comprimindo ar contra as aberturas das suas trompas de Eustáquio.

 

Técnica -Lowry

Apertar o nariz, soprar e engolir

Uma combinação de Valsalva e Toynbee: ao fechar suas narinas, soprar e engolir ao mesmo tempo.

 

Técnica -Edmonds

Apertar o nariz, soprar e empurrar a sua mandíbula para frente

Enquanto enrije o palato mole (o tecido mole na parte de trás do céu da boca) e músculos da garganta e empurrando a mandíbula para frente e para baixo, fazer uma manobra de Valsalva.

 

Manobra -Valsalva

Apertar o nariz e soprar ar por ele

Este é o método que a maioria dos mergulhadores aprende: Aperte as narinas (através de sua máscara) e soprar através de seu nariz. A sobrepressão resultante em sua garganta geralmente força suas trompas de Eustáquio e as mesmas se abrem.

 

Mas a manobra de Valsalva tem três problemas:

 

1. Não ativar os músculos que abrem as trompas de Eustáquio, por isso não pode funcionar se os tubos já estão bloqueadas por uma diferença de pressão.

 

2. É muito fácil a soprar com força suficiente para danificar algo.

 

3. Soprando contra o nariz entupido aumenta a sua pressão do fluido interno, incluindo a pressão do fluido em seu ouvido interno, que podem romper suas "janelas redondas." Portanto, não soprar muito forte, e não manter a pressão por mais de cinco segundos.

 

Engolir ajuda a abrir as trompas de Eustáquio normalmente fechadas, reduzindo a diferença de pressão entre o ouvido externo e ouvido interno. Os métodos mais seguros de compensação utilizam os músculos do pescoço para abrir os tubos. Infelizmente, a manobra de Valsalva, que a maioria dos mergulhadores são ensinados não ativa esses músculos, mas sim a pressão de ar da garganta nas trompas de Eustáquio.

 

Isso é bom, desde que o mergulhador faça sempre com antecipação antes das mudanças de pressão exterior. No entanto, se um mergulhador não igualar cedo ou muitas vezes suficiente, o diferencial de pressão pode forçar os tecidos moles em conjunto, fechando as extremidades dos tubos. Forçando ar contra esses tecidos moles apenas os bloqueia. O ar não chega aos ouvidos medios, que não igualam, por isso o resultado acaba sendo o barotrauma. Pior ainda, soprando muito forte durante uma manobra de Valsalva pode romper as janelas redonda e oval do ouvido interno.

© 2014 - 2020 criado por Eric Meyer - Todos os direitos reservados.