Hipercapnia

 

A hipercapnia é o excesso de dióxido de carbono no sistema cardiorespiratório, que no mergulho autônomo pode ser causado pelo esforço físico excessivo ou por não conseguir respirar lenta e profundamente.

 

Um ciclo respiratório pequeno (respiração curta e rápida), gera diminuição da eliminação do dióxido de carbono levando a uma alta concentração de ar morto (ar contido nos espaços de vias aéreas) e um aumento na produção de dióxido de carbono podem criar uma situação em que a produção de dióxido de carbono é mais alta que o seu sistema respiratório pode eliminar.

 

Por sua vez o seu centro de reflexo respiratório estimula você a respirar mais rápido para tentar eliminar este excesso de dióxido de carbono. Como o ar é mais denso na profundidade, seu diafragma e outros músculos respiratórios precisam trabalhar mais intensamente, o que aumenta ainda mais a produção de dióxido de carbono.

 

Este círculo vicioso só será rompido se você parar e se acalmar, para dar chance a que seu sistema respiratório possa fazer as trocas gasosas adequadamente. O que significa voltar a um padrão respiratório lento e profundo.

 

À medida que os níveis de dióxido de carbono aumentam nos alvéolos pulmonares e na circulação você pode experimentar dores de cabeça, confusão, respiração acelerada e até falta de ar e estes são os sintomas que poderiam chamar atenção para esta situação.

 

Quanto mais fundo você mergulha mais denso é o gás que você respira. Quanto mais fundo maior a pressão, portanto menor o volume e mais denso o ar que você respira. Mais facilmente você pode se cansar em excesso e mais tempo você levara para se recuperar.

 

Se não for controlado o elevado nível de dióxido de carbono, isto pode eventualmente levá-lo a perder a consciência, o que obviamente pode levar um mergulhador a perder o bocal de seu regulador e até se afogar.

© 2014 - 2020 criado por Eric Meyer - Todos os direitos reservados.